18.5.06

O feminismo não passa pelas lojas Benetton...

Há quem persista em impingir o modelo Barbie!
Eis a prova: esta foto captada hoje em Lisboa.
Foto de Miss Piggy
Para quem é como eu - mais "piggy" - a única atitude possível é a indignação contra a ditadura dos parâmetros 90-60-90.
g

9 comentários:

Taxista Feminista disse...

Quando eu for grande, não quero ser como a Barbie!! (E não quero usar roupa Benetton!!)

(Barbie, nossa cara companheira de blog, o que achas disto???)

Yoda disse...

Por acaso, na Benetton (e na Stefanel) que, apesar de tudo, vestem mulheres e não só adolescentes é bastante mais grave do que o habitual.

O tamanho L, o maior de todos que vendem, não cabe mt bem, é pequenote, em mulheres que são consideradas elegantes em qq parte do mundo...

Um peitosito maior e pronto!

Ou seja, hoje em dia, a continuarem as coisas assim, a ditadura da magreza extrema começa para aí aos 10 anos e vai seguir estas jovens todas até... serem avós?

Vanessa disse...

Já tinha reparado nisso. Aliás, pensei que a roupa fosse para criança, pelo menos nas montras vislumbradas. E mesmo que fosse "apenas" para crianças, seria um lamentável passo - formalizar crianças standart, barbies em miniatura, a reforçar ainda mais todas as pressões.

Sobre o assunto: em Entrecampos existe uma loja da Lanidor; uma das montras para criança mete-me uma confusão tremenda: um dos manequins que corresponderá a uma menina entre os 4 e os 6 (muito "delgada",claro), costuma estar vestido de modo relutante (sob meu ponto de vista): um pouco da mini-saia levantada, camisas que deixam um dos ombros a descoberto, etc. Pequenas reproduções de uma suposta "sensualidade feminina adulta". Seja lá o que isso for.

Inês Meneses disse...

Este não é - de todo! - o meu visual, mas mais uma vez custa-me a perceber o que se propõe aqui: que se proiba quem quer vestir-se assim de o fazer?! Façamos já um Comité para o Vestuário Correcto (que, suponho, é composto por um vasto saco cinzento)!

Posts destes dão razão aos imbecis que dizem que já não há um problema feminista - a julgar por estes assuntos, até parece que não.

Casanova disse...

É tudo uma aldrabice do capitalismo selvagem e machista. Todos sabemos que o físico não interessa, mas sim as qualidades intelectuais, humanas. É por isso que prefiro a Odete Santos ou até a Fereira Leite à Marisa Cruz. A minha preferida era até a Madre Teresa de Calcutá...

Iris disse...

Bem, para dizer a verdade, não me parece que o problema aqui sejam as cores.
Levanta-se sim a questão dos tamanhos - não me digam que é normal uma pessoa que veste habitualmente 42 ou 44, não estamos a falar de big sizes!, não consiga vestir-se em lojas como a Benetton, a Zara, a Berska & Co. !?

Mas levanta-se outra questão, manifesta nesta foto tirada a uma montra de roupa infantil: o facto de se continuar a propor o modelo da Barbie como standards a pré-adolescentes e adolescentes que raramente vivem pacificamente as questões do corpo, em vez de se lhes propor modelos que correspondam à diversidade que se observa na rua!
Este é um tema extremamente importante e preocupante hoje em dia. Espero que continuem nesta linha, só assim se conseguirá pôr em causa as ideias pronto-a-vestir!

Inês Meneses disse...

Ora bolas, são lojas, justamente, há para todos os gostos. Vejam lá se as meninas que gostam das roupas da benetton também resolvem fazer guerra às outras lojas porque vendem roupa de que elas não gostam... Cada um escolhe o modelo que preferir, para si e para as suas crianças.

E também não percebi, qual é exactamente o problema feminista dum bikini cor-de-rosa com calças às flores?

Yoda disse...

Problema, problema, não há nenhum....

Ou imensos...

"Beauty lies in the eyes of the beholder".

Estamos a falar da Benetton. Ainda há bem poucos anos era o cúmulo do Alternativo, chic, é certo.

Grande publicidade... Fracturante... As crianças de todas as cores, raças e credod "United Colors of Benetton" and so on...

Preservativos pendurados; tudo aboslutamente UAU!!!.

Sim, já sei.. O sistema Captitalista não tem "contemplaçções"....

Sim... Já sei para os mais "esclarecidos" tudo não passa de cinismos...

Tudo o que quiserem... Mas depois de tantas coisas de tantos anos de tantas revoluções... em 2006, uma Barbie?!

Ao menos umas Bratz :-) de quem as miudas gostam mais, pelo menos em Portugal...

E esta thread tem mais a ver com o tamanho da roupa e o tamanho do sexo feminino...

E sabem que mais?

Tenho 1.68 e peso 70 kg. Qdo vou comprar calças preciso , em inglês, de números 28 ou 29.... Não há....

Normalmente o minimo é 30 e vai por aí acima. Já pesei 91.5 e nunca tive problema de arrnjar calças (então, Nº 36. Atenção: nesta escala os números sobem de 1 em 1).

Fosse eu mulher... Como descrevi atrás nestas lojas (Benetton, Stefanel e tantas outras) uma mulher elegante mas que não seja magrizela, não se veste.

O número maior à venda é o L que, normalmente, fica acanhado a uma mulher com 1.60 e 58-60 kg...

Não é estranho?

Qdo se é homem (atenção, não é rapaz) tem-se problemas com númeos "pequenos". Não existem. Os homens podem ter barriga à vontade etc etc (e têm).

Qdo se é mulher, o número maior à venda é, normalmente, pequeno. Têm que ter corpos mais perto de tamanhos de adolescentes e, mesmo assim, adolescentes magras.

Isto, mesmo depois de serem mães, etc.

I wonder...

May the Force be with you

alma perdida disse...

Isso das mulheres engordarem com a gravidez é um ganda estereótipo. Uma boa desculpa, tb.