4.8.06

Descobre o Sabor da Superbock no Pico do Verão

É sabido que o calor pode provocar alucinações e todo o tipo de mal-estar.
Também é sabido que o álcool pode alterar os comportamentos...
Pior! Parece que os efeitos secundários desta mistura podem atingir o cérebro, deformando a nossa visão do mundo, como se o olhássemos através de uns óculos sexistas....
Prova disto? Basta passear pelas ruas da capital!
Não haja dúvidas que @s criativ@s desta campanha foram atingid@s pela conjugação calor + álcool!


43 comentários:

Anónimo disse...

Esta companha da Superbock está, aliás como quase todas as outras, simplesmente genial! E vocês por aqui, desculpem lá que vos diga, são umas chatas do caraças!

M&M disse...

também concordo que as campanhas publiciatrias da SB sao de facto muito boas... esta nao é excepçao... alias acho extremamente sexy... gostos, la esta...

Taxista Feminista disse...

Eu tenho uma sugestão - já que o tema das campanhas da Super Bock para este Verão é fotografar canecas e copos de cerveja de forma a que se assemelhem a partes de corpos humanos (como nestas dois posters e também no "Wonderbeer"), que tal uma imagem de um copo comprido, com muita espuma em cima, bem redondinha, e uma legenda a dizer "Super Cock"?!

Óptima ideia, não acham?! Mantém-se o estilo de linguagem do resto da campanha e diversifica-se as partes do corpo retratadas. Um copo de cerveja até é bastante fálico, por isso a associação não seria difícil, certo? Além disso, a legenda também dava um trocadinho engraçado. Deviam convidar-me para o departamento de Marketing da Super Bock.

Só há um problema - é que grande parte do público ao qual estas campanhas aparentemente são dirigidas provavelmente não vai querer pôr na boca uma coisa minimamente associável a um pénis. Prefere pernas e mamas. Isso é que é muito giro e muito inovador - "simplesmente genial" como diz o comentário acima. Mas pénis é que não, que horror - "estão-me a chamar paneleiro ou quê? Pensam que ando aí aos broches?! Era só o que me faltava!"

missy disse...

e quem fala assim não é gaga!!!!! excelente comentário taxista feminista!!!

Marta disse...

Visita o blog da REDE PORTUGUESA DE JOVENS PARA A IGUALDADE DE OPORTUNIDADES ENTRE MULHERES E HOMENS para mais informação e opiniões acerca desta tema! Os teus comentários são bem-vindos!!!

http://www.redejovensigualdade.org.pt/blog/

Katia disse...

Eu acho que uma campanha de publicidade, que à partida descarta metade do potencial publico-alvo, nunca na vida pode ser chamada de uma campanha genial. Para afirmar isso, o anônimo não deve perceber patavina de publicidade.

Parabéns pelo vosso blog.
Beijinhos,

Katia
http://mundodemulher.blogspot.com/

Anónimo disse...

Ò Katia! Trabalho em publicidade, sou mulher, o público alvo do sector das cervejas é, predominantemente, o masculino e a ideia do "super cock" (depois de devidamente trabalhada) era capaz de ser engraçada. Ah! Ó taxista, deus conserve os homens que preferem rabos e mamas a fazer broches a gajos! Nos tempos que vão correndo, deus os conserve!!!
(A anónima lá de cima)

Katia disse...

Anônima, eu não trabalho em publicidade, mas sou de marketing, por isso, sei perfeitamente que o mercado das cervejas é direccionado para homens, e qual era o objectivo da campanha!

O que eu tentei dizer, foi, e tal como a Super Bock provou no novo anuncio (em que as mulheres, é que convidam os homens para uma cerveja), as mulheres (pouco ou muito) também bebem cerveja.

E os anuncios da Wonderbear ou da Miss Playbock foram (uma triste) uma prova de como esse publico (embora em minoria) foi completamente desprezado...

E não, a ideia so "Super Cock" nunca seria engraçada... Para mim, estes anuncios da Super Bock são uma triste aplicação de excessos de orçamentos.

Anónimo disse...

Katia! Por mim, a polémica está, desde já, encerrada. É difícil argumentar com quem está, à partida, de pé atrás e com quem tem falta de sentido de humor. Só quero dizer uma última coisa: pelo facto da publicidade em causa aludir a rabos e seios femininos, não tem necessariamente que passar ao lado do público feminino...Estou plenamente convencida que mulheres como eu - que bebem cerveja e estão longe do padrão "a-desgraçadinha-subjugada-pelo-homem-esse-malandro" - acham piada à campanha.

Anónimo disse...

Perdoem-me mas associar partes do corpo de uma mulher a um qualquer produto em marketing é tudo menos inovador. Claro que a fotografia está bem feita mas é tudo. Não me parece ser uma boa campanha, o número de mulheres consumidoras de cerveja está a aumentar e seria um público-alvo bem interessante. Gosto de coisas brejeiras, mas, realmente, dividirem-nos o corpo aos bocados para vender uma bebida é aviltante, e estou-me nas tintas para as especialistas marketing. Fica a imagem e esquecem-se as marcas.
Agora minha querida, se gostas de ser julgada pelo teu rabo, anca ou mama, é contigo. Desejo-te sorte com a dieta, porque as minhas visões de praia não têm nada a ver com estes corpos de plástico que eles idealizam. Corpos vendem produtos e vendem-se. É lindo não é? Afinal as mulheres servem para isso - cama, cozinha e crianças (fazê-las, claro).

Anónimo disse...

Um comentário tonto, merece um comentário no mesmo plano: não me importo nada que julguem o meu rabo e as minhas mamas.Assim como não me importo de ser diariamente julgada pela qualidade do meu trabalho. E não me importo mesmo nada de servir para a cama e para fazer crianças (a cozinha é que dispensaria de bom grado...)Eu gosto muito de sexo e gosto muito de ser mãe...

abc disse...

Cada vez que se comenta de forma crítica um certo anúncio, vem logo alguém dizer que as feministas "não gostam de sexo" ou que não gostam de outras coisas associadas às mulheres como, por exemplo, ser mãe - mas alguém aqui disse alguma coisa sobre o seu interesse em fazer sexo ou ter filhos????

Não gostar de um certo anúncio significa automaticamente que se é uma "chata" que não gosta de sexo?

Significa necessariamente que se é uma "desgraçadinha-subjugada-pelo-homem-esse-malandro", como disseram lá em cima?!

Vários outros blogs, muitos deles de homens, têm criticado este anúncio - também eles são umas "desgraçadinhas-subjugadas" "chatas" que acham os "homens uns malandros"?

Não dá para discutir a publicidade (ou outra coisa qualquer) sem se recorrer logo aos estereótipos mais parvos e previsíveis sobre as/os feministas???

Likas Meow disse...

Excelente comentario taxista feminista! O blogue esta fantastico, optimo projecto e tenho pena que so tenha tido conhecimento dele atraves da Publica..

Continuaçao de bom trabalho *

Hibou de la nuit disse...

Concordo inteiramente com a taxista feminina. Esta publicidade não passa de boçalidade machista encapotada. Façam um anúncio com o formato de um pénis com muita espuma, isso já não o fazem e sempre gostava de ver o que pensam sobre isso os que consideram a actual campanha "genial".

Cheguei aqui pela Gotinha que aborda o anúncio, mas de outra perspectiva, em http://blogotinha.blogspot.com

O blog está interessante, continuem!

Renato Graça disse...

Bem em primeiro lugar,só quero deixar claro que a anonymous - a Publicitária, está a milhas de entender a publicidade, se acha que estes anúncios estão geniais! Quanto muito estão bem conseguidos para um público alvo específico. (sim, porque nem todos os homens são o estériotipo de "mostrem-me mamas e rabos que eu fico feliz".

Dito isto, podemos facilmente concluir que os anúncios ou a sua criatividade segue uma linha de comunicação brejeira e que qualquer mulher deveria se enojar com o uso de algo tão belo (o corpo feminino) convertido numa reles comparação a um produto. Os aúncios não são sequer engraçados,nem é esse o seu intuíto. Do meu ponto de vista, são o caminho mais fácil para atingir em cheio o público mais jovem e ignorando diversos outros.

Penso que a Katia, referiu e bem, que esta comunicação e a sua segmentação está mal conseguida, se pensarmos que temos diversas gerações ou classes (falando em público masculino) que bebem cerveja, mas que de nenhuma forma se identificariam com algo tão supérfulo e ordinário.

Bem, foram estes os meus Dois Dedos de Conversa.

Casanova disse...

Por que é que tantas feministas ficam tão assanhadas quando se mostram atributos físicos femininos? Será inveja? Puritanismo? Por que é assim tão mau mostrar o corpo feminino? Só o intelecto é que conta? Porquê essa aversão ao corpo e ao sexo? Parece-me mas é que são todas uma beatas recicladas

abc disse...

Não, Casanova, não é inveja. Não vejo por que raio é que haveria de ter inveja de copos de cerveja...

neva disse...

bem so posso dizer que sou mulher, de marketing e gosto dos anuncios. Em nada me descriminam.

MH disse...

Esta campanha da Super Bock é mais uma tipica de mamas&cus. Não gosto de ver o corpo da mulher a ser explorado desta forma - não tenho nada contra os anuncios que usam formas de mulheres ou corpos nús mas a alusão à playboy e aos wonderbra é sexista e banal.
ah, sabem que Bock quer dizer "Merda" em turco?

Anónimo disse...

Ó minha senhora, essa da capital é mesmo centralisto-lisboeta. Tente viajar para fora da CREL e verá que os cartazes estão em todas as cidades do país. Até aqui em Viseu (é uma cidadezinha da Beira, banhada pelo IP5) há mamas e cus de vidro para refrescar os nossos dias.
JV

FuckItAll disse...

Pronto, aparecem corpos de mulheres nuas como algo bom e desejável, e lá temos as freiras arrepiadas de horror...

Digam-me lá, o velhinho anúncio do "homem da coca-cola light" (eu acho estes anúncios da SB bem mais felizes, mas isso sou eu), era também sexista? E os da william lawson, cheios de escoceses giraços? Assumindo que esses não eram machistas, eram quê? Fêmeistas?

FuckItAll disse...

Ah, Renato, um detalhe: eles não querem que a gente associe os corpos à cerveja, querem que associemos a cerveja aos corpos... é uma subtileza, eu sei.

Já agora, o que é que é supérfluo e ordinário, o corpo feminino? Eu por mim estou satisfeita com o meu, não o acho supérfluo que a alminha não me chega, e ordinário só é quando eu quero que seja....

FuckItAll disse...

Taxista, no que respeita a broches, julgo lembrar-me que vocês também acham os ditos uma coisa inaceitável. Degradante. Sexista.

FuckItAll disse...

Como num post mais abaixo se denuncia, há um tipo de publicidade que me parece, essa sim, claramente sexista e preocupante nos efeitos que tem. Estou a falar da publicidade em que são atribuídos papéis sociais fixos a homens e mulheres. Aqueles que nos dizem que detergentes e produtos alimentares são para ser usados por mulheres. Os que provam que carros são coisa de homens, conduzidas por homens. Os que anunciam comida pré-fabricada como coisa para homens, que eles coitadinhos não sabem o que fazer quando têm que cozinhar uma refeição. Os que nos mostram a família tradicional portuguesa, com a mãe a receber conselhos domésticos da sogra, e o pai a chegar do trabalho e os filhos da escola.

Os publicitários vão dizer-nos que tem a ver com o público: são de facto as mulheres quem escolhe os produtos domésticos, são os homens quem decide a compra do carro, são os homens quem consome pré-cozinhados, e se nem todas as famílias são "tradicionais" a imagem ideal que as pessoas têm na cabeça ainda é essa. Serão factos, e é também um facto que os publicitários são pagos para vender coisas, não para mudar a sociedade. Mas esta sim, é uma pescada-de-rabo-na-boca que seria bom desenrolar...

Renato Graça disse...

FuckItAll said...

Ah, Renato, um detalhe: eles não querem que a gente associe os corpos à cerveja, querem que associemos a cerveja aos corpos... é uma subtileza, eu sei.

Já agora, o que é que é supérfluo e ordinário, o corpo feminino? Eu por mim estou satisfeita com o meu, não o acho supérfluo que a alminha não me chega, e ordinário só é quando eu quero que seja....

9/8/06 17:03

Não querendo de maneira nenhuma fugir à questão, só quero refutar o seu comentário, dizendo que não entendeu o que escrevi. Em relação à associação feita, só mencionei que "...qualquer mulher deveria se enojar com o uso de algo tão belo (o corpo feminino) convertido numa reles comparação a um produto". Em relação ao supérfluo e ordinário, obviamente que me referia ao tipo de comunicação brejeira, pena que não tenha entendido a subtileza.

Entretanto, surgiu mais uma versão da criatividade desta campanha, a "Topless". Nada a acrescentar, tendo em conta que se mantém na mesma linha.

Renato Graça
www.renatograca.blogspot.com

chip disse...

«FuckItAll said...
Digam-me lá, o velhinho anúncio do "homem da coca-cola light" (eu acho estes anúncios da SB bem mais felizes, mas isso sou eu), era também sexista? E os da william lawson, cheios de escoceses giraços?»

quando há debates sobre a forma como as mulheres são retratadas nos anúncios, aparece logo alguém a dizer "ai, e o anúncio da coca-cola light, hã, hã?! E esse, já não achas mal?!" é certinho como um relógio!
curiosamente, quando querem dar um exemplo de um anúncio onde os homens também sejam retratados de forma sexy, vem logo à baila o da coca-cola light. e às vezes também o da william lawson's. mas mais nenhum. é raro alguém conseguir dar mais de 3 ou 4 exemplos de anúncios deste tipo.

os anúncios da coca-cola light e da william lawson's saltam à vista porque são precisamente uma excepção à regra - é muito mais raro ver anúncios desse tipo com homens do que com mulheres. o problema não é existirem anúncios com corpos sexy de mulheres (ou corpos de homens) - podem ser muito interessantes.

o que é estranho (e irritante) é quando se torna norma usar sempre o mesmo tipo de corpos por tudo e por nada. na minha opinião, fuckitall, referir 2 anúncios onde aparecem corpos de homens não vem demonstrar que afinal não há desigualdade nenhuma no mundo dos corpos "sexy" da publicidade e que quem acha isso é paranóico ou uma "freira arrepiada".

como toda a gente constata sem grande dificuldade, corpos femininos e masculinos "sexy" não aparecem da mesma forma e na mesma quantidade na publicidade. porquê? não me digam que há mais mulheres bonitas neste mundo do que homens bonitos?!

e já que criticaste o facto de que "há um tipo de publicidade que me parece, essa sim, claramente sexista e preocupante nos efeitos que tem. Estou a falar da publicidade em que são atribuídos papéis sociais fixos a homens e mulheres." - não te parece que isto também se aplica a estes anúncios que atribuem às mulheres o "papel social fixo" de servir de decoração, papel que é muito mais raramente atribuído aos homens na publicidade?

Taxista Feminista disse...

Comentário de FuckItAll
"Taxista, no que respeita a broches, julgo lembrar-me que vocês também acham os ditos uma coisa inaceitável. Degradante. Sexista."

Achamos?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?! A sério?!?!?!?!?!?!?!?!?! Epá, estás a dar-nos uma novidade, porque ninguém aqui acha nada disso. Se calhar estás a confundir-nos com outro blog qualquer - ou então com alguma imagem estereotipada de feministas que tens na tua cabeça.

FuckItAll disse...

1. Cara taxista: lamento, mas eu tenho memória e o blog tem arquivo... em http://colectivofeminista.blogspot.com/2006/05/publicidade-um-assunto-menor.html, foi-me dito que "o acto de chupar reduz a mulher", preto no branco. A este respeito, estão de acordo com os machões da praça.

2. Chip: Nunca disse que as coisas surgiam na mesma quantidade (embora não sejam estes os únicos exemplos no masculino). Quis sublinhar é que um homem nu ou semi-nu não ofende ninguém. Porque é que acham que o corpo feminino deve ser tratado com mais recato? Ou que imagens alusivas a corpos femininos são necessariamente "ordinárias"? Não vêem que isto é o discurso conservador, puritano, no seu melhor?

3. Renato: não entendo. Se o corpo é belo, não é natural que seja usado para gerar associações de ideias positivas com um produto? A não ser que questione a existência do marketing e da publicidade em geral. Mas essa é outra discussão, não tem nada que ver com feminismo.

FuckItAll disse...

Continuam a não me dizer se quando um homem aparece nú também está a ser degradado.

E vão-me desculpar, mas, em primeiro lugar, duvido que os autores e os consumidores destes anúncios estejam a pensar em decoração; e em segundo, decorar é embelezar e não tem nada de mal.

Taxista Feminista disse...

FuckItAll: Este blog foi criado com o objectivo de estimular o debate e é bom saber que ele é um espaço onde as pessoas podem expressar opiniões diferentes. Mas é complicado debater o que quer que seja quando as pessoas lêem as coisas todas "ao contrário", propositadamente ou não.

Em primeiro lugar, a frase a que fazes referência aparece num comentário e não num post. Como sabes, qualquer pessoa pode comentar aqui, quer concorde connosco ou não - como tu própria demonstras. O que significa que há aqui comentários com os quais concordamos e outros com os quais não concordamos. Além disso, já aqui escrevi também que as pessoas do Coelctivo têm opiniões muito diferentes e que não temos posições ou discursos "oficiais". É o que acontece num espaço aberto ao debate. Por isso, não faz muito sentido ler os comentários e com base neles dizer que "o Colectivo disse" ou "o Colectivo acha" - até porque no Colectivo diz-se e acha-se muitas coisas diferentes e ainda bem. Não me digas que é preciso pôr um aviso em letras garrafais na entrada do blog a dizer "Os conteúdos deste blog não são necessariamente representativos de..."?!?!?

Em segundo lugar, tu interpretaste a frase em causa completamente do avesso: @ comentador/a Iris escreveu "o anúncio da Chupa Chups passa pela redução da mulher ao acto de chupar" (=o anúncio retrata aquela mulher como se só servisse para chupar) e tu leste "chupar reduz a mulher" (=quando uma mulher chupa, fica reduzida, humilhada). Um comentário sobre um anúncio específico e a sua estratégia de marketing é interpretado por ti como um manifesto global sobre sexo. É díficil perceber (como alguém já disse lá em cima) que criticar um anúncio específico não é o mesmo que dizer que o sexo é mau e sexista?!?!

Disse-te ontem que ninguém no Colectivo acha isso sobre sexo - mas se quiseres continuar convencida que sim e ler tudo o que aqui é escrito em função dessa ideia errada, tu lá sabes. Mas assim não há debate que resista - o que há é um diálogo de surd@s.

FuckItAll disse...

Tens toda a razão, presumi que a Iris fazia parte do Colectivo, uma vez que estava a defender a mesma opinião que os elementos do dito Colectivo naquela discussão. As minhas desculpas se isso não é verdade.

Nem vou retomar aquela discussão, quem quiser que vá lá ler (mas acho giro, se aquela pessoa não vos representa, que vcs falem por ela e a expliquem).

Mas deixo uma questão: se 1, o corpo feminino pode ser mostrado, 2, sexo (e sexo oral) pode ser mostrado, qual é afinal o problema do anúncio da Chupa-chups?
É, dizes-me, que a mulher é vista como só servindo para isso. Mas isso não está lá, és tu quem está a ler isso assim. Se eu mostrar uma mulher a correr, estou a dizer que ela só serve para correr? Se a mostrar no local de trabalho, estou a dizer que só serve para trabalhar? Repito: é puro complexo nosso sentirmo-nos embaraçadas, ofendidas, com imagens destas. Note-se, eu acho a imagem parva, mas também não sou cliente de chupa-chupas. E a parvoíce não é ilegítima.

Por fim: é mesmo por ter a certeza que vocês não serão pessoas para ter esse tipo de atitude face ao sexo que me faz impressão que caiam em argumentos destes. Senão, não perdia tempo a tentar discutir.

chip disse...

bem, já estou como o taxista - parece que você lê tudo ao contrário, fuckitall.

eu escrevo que "o problema não é existirem anúncios com corpos sexy de mulheres (ou corpos de homens) - podem ser muito interessantes" e você pergunta-me por que é eu acho "que imagens alusivas a corpos femininos são necessariamente "ordinárias"?"

eu escrevo que há muito mais recato na exibição de corpos masculinos do que femininos e que não faz sentido que um sexo seja exibido com mais recato do que o outro e você pergunta-me "porque é que acham que o corpo feminino deve ser tratado com mais recato?"

você anda a ler o mesmo blog que eu?

FuckItAll disse...

Essa do ordinário não era contigo, chip, lê lá outra vez os comentários...

Quanto ao resto, qual é a contradição? Escreves que há mais recato nos masculinos; eu pergunto se devia ser ao contrário. A vcs desagrada que haja menos recato nos corpos femininos; a mim não. Estou-me nas tintas para o recato, para ser franca.

Continuo à espera do esclarecimento: um corpo de homem nú e/ou com sugestões sexuais, é degradante para os homens?

FuckItAll disse...

Já verifiquei, quem falou em ordinário foi o Renato. Pronto. Desculpem lá, estou a falar ao mesmo tempo com 3 ou 4 pessoas que defendem mais ou menos a mesma coisa e misturei as "linhas".

Anónimo disse...

Eu penso que não está aqui em discussão nem a nudez nem o sexo. Em princípio todas/os nascemos nus e é a melhor forma de estar, então com este calor! E viver sem sexo é viver sem luz. O que está aqui em discussão é a permanente, obsoleta, costumeira, sensaborona e entediante forma de utilizar corpos de mulheres para vender produtos. E as mulheres são um pouco mais do que corpos para os outros ou outras olharem, ou não? São sujeitos/as e não só objectos de ver. Se a publicidade não pudesse ir além disto era bem pobre, publiciária de serviço. Falta-vos imaginação para irem além dos bocados de corpo? Não há mais pulsões da vida do que o sexo? É o mais fácil - uma mulher linda e já está. Mas é monótono. Não são vocês os/as criativos? Criem.

FuckItAll disse...

De acordo, há uma obssessão com o sexo nas nossas ruas. Alguns de nós acharão isso positivo, outros negativo. Eis um bom tema de debate. Mas não é (necessariamente) machista, e neste caso até é (dentro desse padrão) criativo e esteticamente interessante. Mais do que se pode dizer doutros casos.

chip disse...

Fuckitall said...
"Continuo à espera do esclarecimento: um corpo de homem nú e/ou com sugestões sexuais, é degradante para os homens?"

Lembram-se de há uns anos atrás as estações de metro ficarem cheias de posters enormes com homens jovens de peito à mostra, numa campanha de uma margarina qualquer em que se fazia um trocadilho com o facto de se chamar "pão" a um homem bonito?

Lembro-me que na altura todos os meus amigos andavam furiosos com isso ("mas agora tenho de ser obrigado a ver homens nus enquanto estou à espera do metro?! que lata!") e que nas estações de metro imensos homens criticavam aqueles anúncios.

Também me lembro bem de vários homens terem achado as campanhas da coca-cola light e da william lawson's uma parvoíce, mudarem de canal de propósito cada vez que estes anúncios apareciam na TV e dizerem que não percebiam por que é que era preciso andar a mostrar peitos de homens para vender bebidas.

Pelos vistos eles acham normal que toda a gente veja corpos de mulheres enquanto espera pelos transportes públicos, mas acha chocante terem de ser sujeitos a visões de homens despidos - é que, como toda a gente sabe, um "Homem" com H grande não tem prazer nenhum em ver outros homens nus, não é?!

FuckItAll disse...

Pois. E qual é a diferença entre essas atitudes que relatas, chip, e a de mulheres (ou homens) quando reagem a corpos de mulheres?

A uns e outros: deixem lá aparecer os corpos, pá! E quem não gosta come menos (dos anúncios e dos produtos), mas francamente, ficar ofendido...

(grr... que vício! must stop, must stop... must go, must go... bom fds a todos, volto qd puder, bjs)

tangas disse...

bem... eu estava a pensar convidar-vos a todos para entornar umas cervejolas, mas já pensei duas vezes. vai um fino?

do you.... disse...

http://www.youtube.com/watch?v=AXCPs3qDRok

do you.... disse...

ou melhor....

http://www.youtube.com/watch?v=KZ-1r4nQgbU

Maria disse...

Enfim, há gente que não consegue perceber nada de nada. Taxista Femenista, és o máximo! Gosto muito da maneira como expressas/defendes as tuas opiniões! Muitos Parabéns ao Colectivo *

LFM disse...

Mas esses anúncios eram bons!
Quanto aos actuais, devem uma satisfação.