23.8.06

Homens Insufláveis

De acordo com a Reuters, uma seguradora automóvel britânica - Sheilas' Wheels - lançou recentemente um novo "gadget" destinado às mulheres que não se sentem seguras quando conduzem sozinhas à noite: um homem insuflável, cujo objectivo é dar a entender que a condutora está acompanhada.

"According to research by the inflatable friend's creator, insurer Sheilas' Wheels, 82 percent of women feel safer with someone sitting in the car beside them and nearly a half don't like driving alone in the dark."

Não sei se este "homem insuflável" funcionará... Mas a verdade é que não é assim tão descabida a ideia de inventar estratégias para reduzir a insegurança das condutoras: é que 71% das 500 mulheres inquiridas pela companhia de seguros já foram assediadas ou intimidadas quando viajavam de carro sozinhas.
a

5 comentários:

do you love me like i love you disse...

não é inteiramente por bravata que deixo aqui este depoimento, mas a paranoia securitária já me está a deixar com medo, por isso deixo a seguinte história: certo dia ia com uma amiga a caminhar na rua e ouvimos vindo de um carro num engarrafamento uma sequencia de piropos fuleiros. quando olhámos para lá (sim, olhámos para quem nos tratava daquela maneira) saltou-nos a tampa, eram da nossa idade, na casa dos 20, e já se preparavam para ser a próxima geração de idiotas. olhámos uma para a outra e percebemos logo. acercámos-nos do carro num daqueles o que é que foi e eles naturalmente responderam sem subtileza alguma. abrimos a porta e tirámos para fora o condutor, à cowboy, como ele já prometera mas não pensara ter que cumprir. agarrado por um braço, caíu em si, e já noutra voz pediu desculpa. Nunca tinha feito isso. Feita antropóloga começei a indagar com bons modos aos piropeiros qual era a deles. 1 caso excepcional era um homem que pretendia fazer o que dizia, os velhos que respondem querem dizer o que já não podem, a maioria foge quando interpelada, e um deles continuou o seu desporto solitário fingindo que eu tinha medo e o tratava mal. O unico que me atacou, atacou antes de eu o ver mas não carregava arma. A vida é dura, mas só se cresce respondendo-lhe. isto não é o islão.

givemetheblues disse...

that news gives me the blues

Ana disse...

Em vez de se inventar homens insufláveis, devia-se inventar homens que respeitassem as mulheres que estão sozinhas! Deviam ensinar-lhes( aos que ainda não aprenderam) que um piropo não serve de nada, que um "não" é um "não" e que não devem tirar vantagem da nossa menor força muscular(há excepções!) para nos forçarem ou intimidarem ao que quer que seja.

Elsa disse...

Hola, felicidades por este blog. Saludos desde México

Dinosáuria disse...

Pois é. Homens predadores tem havido sempre. E homens de plástico ou carne são para nos "defender" de outros homens. Que tal aprendermos e determinarmo-nos a defender sózinhas? Eu fiz um curso de auto-defesa, e mesmo que não sirva para mais nada faz-me sentir mais segura na rua. Pois que o feitio predador ainda não se sabe se é ADN ou educação tresmalhada.