27.4.06

Primeira Acção de Rua do Colectivo Feminista

Na noite de 25 de Abril, o Colectivo pôs o feminismo a passar pela Cidade Universitária, Avenida de Berna, Bairro Alto e Bica.

Foto de Barriguita

Foto de RF

Em jeito de "making of", aqui fica uma fotografia do Colectivo em acção...

Foto de RF


6 comentários:

Jorge Vieira disse...

Boa!! :)

bárbara disse...

As viagens nos autocarros da carris podem ser caleidoscópios na descoberta de frases soltas nas paredes da cidade.
Foi numa manhã, numa dessas viagens, que «o feminismo está a passar por aqui» passou por mim.
Pensei em ti/vocês... e descobri onde está @ Wally(?).
Bem haja!

Colectivo Feminista disse...

Temos muito gosto em saber que contribuímos para alegrar as viagens nos autocarros da Carris - e torná-las um pouco mais feministas! :)

Anónimo disse...

pessoal, defender pontos de vista é sempre legítimo, a divulgação também é meritória, há causas que são mais do que justas, mas...

é preciso escrever nas paredes dos outros?

que péssimo exemplo !

espero que revejam as vossas formas de actuação e que promovam o respeito pelos outros, um dos melhores modos de conseguir o respeito dos outros

mas vamos aos pontos positivos: a ideia de denunciar o abuso dos publicitários que usam as mulheres (e, crescentemente, as crianças) de preferência quase nuas para vender todo e qualquer produto ou serviço, poupando na imaginação e disfarçando a falta de inteligência na concepção de campanhas promocionais, procurando lucrar sem esforço por recurso a mensagens primárias dirigidas aos consumidores trogloditas que tentam perpetuar num negócio entre pares - sim, estou a referir-me aos trogloditas dos directores de marketing, técnicos e responsáveis publicitários

sempre acreditei que a acusação pública e fundamentada do recurso a tais métodos publicitários (além de chamar aos ditos o que eles de facto são) é capaz de assustar os empresários e sensibilizá-los para se exigir dos profissionais da publicidade mais imaginação e inteligência, a benefício de todos!

vá, bom trabalho !!

e divirtam-se !!!

antonio

mercedeslima@bol.com.br disse...

A guerra da publicidade de cerveja no Brasil chegou ao máximo: no início tratava-se de vender a cerveja associada ao corpo da mulher: cerveja boa correspondia à mulher boa...Depois, chega-se a vender o próprio corpo da mulher: já não há necessidade de expor a garrafa da cerveja, basta o corpo da mulher.

Yana António disse...

Quero expressar o meu profundo desacordo com a opiniãodo Sr. Anónimo de que a vossa acção com os stencils tenha sido um mau exemplo.
Tratou-se de uma acção de sensibilização em que é passada uma ideia, em que há comunicação com a população, em nada diferente da campanha da Sociedade Portuguesa de Cardiologia intitulada ‘A Marca’, que teve como mote ‘Não seja a próxima vítima, em que também foi utilizado o stencil em locais públicos (para quem não se lembra, eram as marcas de cadáver espalhadas pelo chão de várias cidades).

O vosso stencil seria muito bem vindo nas paredes exteriores da minha casa. Parabéns.