29.6.06

Que difícil é ser um "homem a sério"!

Caramba, são tantas as coisas «que um homem (não) pode ou (não) deve ter para ser um verdadeiro "macho man"»! Nem se pode escolher a comida e o tamanho das doses à vontade. Tudo para evitar ser considerado "maricas", horror dos horrores!

É pena que estas e outras "regras" de masculinidade sejam frequentemente tão rígidas que não deixam muitos homens fazer (e comer e usar e apreciar e etc.) aquilo que querem e bem entendem em paz e sossego. É chocante que a homossexualidade continue a ser o "bicho papão" usado para "assustar" os homens e "convencê-los" a cumprir estas regras e ser "homens a sério" (o que quer que seja que isso signifique).
a

5 comentários:

Grace disse...

Mas a questão fulcral é: será que os homens vêm esse ridículo na situação!? Ou só verão isso os gays (pressupondo que estes se apercebem do ridículo)!?

Yoda disse...

Hello Grace,

Pq razão é que os gays haveriam de perceber? Ou seja, porquê este pressuposto?

Alguma visão um pouco mais "romântica" dos gays?

Ou aí vamos nós num dos estereotipos famosos, porque "são mais sensíveis"?

May the Force Be with You

Grace disse...

É a própria autora do post que constrói a referência de um comportamento heterossexual face a um comprtamento homossexual! Se os homens hetero têm a capacidade autocrítica de se verem como jarvardos e de deliberadamente se afastarem de outros comportamentos, não terão os gays a mesma capacidade autocrítica que lhes permita considerarem-se javardos ou educados ("delicados", como Yoda pretende transmitir - não eu)!?
Quero com isto dizer que minha visão não é romântica, é realista, e baseada nos elementos do discurso apresentado!

De qualquer modo, nem excluo nem afirmo a possibilidade de que eles (gays) se apercebem ou não do ridículo da imposição de estereótipos...
No fundo, o que aquela lista representa é uma tabela pela qual se pode "medir" a masculinidade, como se houvesse graus de masculinidade... Enfim... e o que está no extremo oposto de uma masculinidade viril e plena!? Uma mulher, um gay, ou uma lésbica!!??

abrunho disse...

Aquilo é brincadeira. Tentar construir teses de masculinidades com aquele texto é tão absurdo, como o próprio texto o é. Mas quem escreveu o texto está mesmo para o gozo, o gozo deste mundo que tem os seus discursos de masculinidade. Aquele texto até é uma forma leve e divertida de mostrar o ridículo desses discursos.

Amsciano disse...

Er... Já alguém ouviu falar em sarcasmo?