16.1.07

Por este andar mais vale guardar dinheiro no colchão


ou no porquinho mealheiro.

Como se já não nos tivesse bastado no ano passado termos assistido à triste iniciativa do BES a apelar às mulheres de Portugal para darem bandeira, no Jamor.

(este cartaz chegou-nos via e-mail; a autoria desta pertinente operação de cosmética é-nos desconhecida)

1 comentário:

(6) comentários publicados originalmente disse...

qimladen disse...
Com tanta campanha pelo "sim" à IGV gostaria de saber se em termos de uma hpotética hierarquia de valores sociais deveria ser considerado, por exemplo, mais correcto fazer uma IVG do que parar um carro em local proibido ou atirar um papel para a a rua...já que estes actos são penalizados por lei!...
Fico pasmado tambem com a marginalização do homem no seu papel de "pai" em todas estas campanhas! Se são dois, um homem e uma mulher, responsáveis em partes iguais num processo de gravidez, o que é que dá o direito exclusivo à mulher de a interromper? E se ainda por cima o homem estiver disposto a proporcionar condições dignas ao crescimento e educação da criança ? Ou o homem só deve ter deveres, e, entre eles, abdicar dos seus direitos de paternidade?
Que a sociedade seja responsável pela ignorância, pela falta de condições mínimas de vida dos seus cidadãos ou mesmo de um eventual "acidente", tudo bem... Mas agora, pôr os seus recursos pagos à custa de todos, para acudir às irresponsabilidades, egoismos ou pura e simplesmente displicências de uns quantos que nos tempos que correm se estão marimbando para os "outros" tenham paciência!...
Pela descriminalização sim, pela despenalização Não!
16/1/07 23:22

Anónimo disse...
Já são 7 os cartazes no site www.nao-mesmo.org.
Aproveitem e vejam os Vídeos do Encontro dos Movimentos do Sim em Aveiro.
17/1/07 01:03

Barriguita disse...
Pois, Quimladen, pois, mas são as mulheres que são criminalizadas, não os homens, portanto, bonitinho o discurso de onde estão os homens... Portanto, não, não temos paciência. Para além disso, se a lei do aborto for despenalizada não obriga nenhuma mulher a abortar. Passará a ser possível ter essa escolha, e isso, é o que não existe. E essa escolha, ninguém tem nada a ver com isso, ela pode decorrer por decisão da mulher -só, ou com o seu companheiro.

Portugal Gay, vão pôr mais videos de Aveiro?
17/1/07 04:07

Anónimo disse...
"Vienna launches gender-friendly signs on public transport"

http://www.advocate.com/news_detail_ektid41149.asp
18/1/07 09:30

Sibilia disse...
Já começo a achar graça a esta frustração masculina de não serem eles a decidir pela IVG, eles que decidem tudo! Regra geral, nos abortos de raparigas e mulheres sós desparecem rapidamente quando as mulheres engravidam. Põem duvidas sobre a sua paternidade. E é ver as crianças filhas de mulheres que se prostituem, que ninguém sabe de quem são pois eles, e parece que são muito, incluindo árbitros de futebol, que ficam tantas vezes ao abandono e de que elas são as únicas responsáveis. De facto, a responsabilidade da contracepão até hoje tem sido quase unicamente das mulheres, da concepção também e por isso do aborto. Quimladen, espero que não sejas daqueles que andam por aí a espalhar esperma e agora se preocupam muito. Chega de prepotências.
20/1/07 12:15

Pelo Não disse...
Qinladen... Muito Bem!
Tal como defende o Feminismo, o Homem tem tantos direitos como a Mulher.O Homem tem direito a querer a criança. Já não basta as restrições na lei e ainda querem matar mais gente? Meu Deus, mas que Mundo é este! Já somos maus em tantas coisas, queremos estragar a unica coisa q temos boa neste país?

JUNTOS PELO NÃO!!

P.S. Acho que os membros do Blog nao têm sido educadas com as pessoas. Acho que a forma como falam com as pessoas que nao manifestam a vossa opinião devia ser mudada!

Um Abraço*
22/1/07 23:50