2.4.07

Grandes portugueses e a matemática:

«Fomos um milhão e 500 mil portugueses que dissemos não a esta lei. Mas se a nós juntarmos mais um por nascer por cada voto nosso, teremos seguramente mais de três milhões de portugueses», afirmou Isilda Pegado, em nome dos movimentos do «não». (daqui)

Isilda Pegado continua pegada a fazer estas figuras. Continua a não saber entreter-se a um sábado à tarde, e dedica-se à matemática contabilizando votos de seres por nascer, que na sua óptica, para além de serem seres humanos que chucham no dedo, também já são seres que sabem ler e dar uso à sua mão por nascer, com uma destreza espectacular, plenamente capaz de fazer uma cruz no "NÃO" do boletim de voto; só pelo facto de serem fetos ou embriões, têm consciência cívica e opiniões bem definidas sobre a legalização da IVG.

À extraordinária capacidade oratória e ao poder argumentativo coerente de Isilda Pegado acrescentam-se novas características: um raciocínio matemático audaz e uma enorme capacidade de visão futurista, adivinhando as posições políticas de futuros seres por nascer. Sofre também de uma ingenuidade ainda mais pura que a de um ser humano por nascer, e de um optimismo cívico e utopista, uma vez que acredita que esse milhão por nascer corresponderia a um milhão de votantes. E que esse milhão seria uma cambada de optimistas de bem com a vida, que todos os dias agradeceriam o facto de terem nascido. Poderiamos falar de delírios psicadélicos, mas é melhor não. Podemos assustar o milhão de seres humanos por nascer. Porque se dentro da barriga da mãe já sabem o que votam, também devem ter capacidade para ler este blog. O que não é necessáriamente mau, mas num mundo ideal, o feminismo que passa por aqui não é semelhante aos delírios de Isilda Pegado. E longe de nós confundirmos um milhão de seres por nascer. Já basta aos 10 milhões de portugueses nascidos ficarem confusos com os raciocínios de Isilda Pegado.


(nota: a ausência de linguagem inclusiva é propositada e de acordo com o mundo ideal de Isilda Pegado)


- Barriguita

5 comentários:

antidote disse...

a ideia nao é minha original, mas quem a exprimiu nao anda na net.

se esses embrioes teem capacidade de votar e plenos direitos de cidadania, mesmo antes de terem idade para isso (para nao dizer capacidade de discernimento) entao tambem teem capacidade de herdar todo o patrimonio do pai biologico, ou de o meter numa instituicao caso nao esteja em condicoes tomar conta de si proprio. Ou porque nao ainda, de denunciá-lo por negligencia?

(provavelmente o dito pai biologico - que se calhar nem sabe que engendrou um embriao - nem sempre estará pelos ajustes com tais implicacoes juridicas).

Se a logica é tao implacavel, porque é que só certas conclusoes logicas do lado do NAO sao ventiladas? E agora num registo mais serio, porque é que exercicios de tamanha falta de logica tao imensa merecem tempo de antena na comunicacao social? se é para ler argumentos do NAO, deem-me por favor argumentos com cabeca tronco e membros!

cris disse...

Idiotice pegada é o que esta Isildinha é. Cruzes credo, até assusta tanta falta de honestidade intelectual. E vergonha na cara também. Arrrghhhh

REDE disse...

Antidote, Os argumentos que veicula no post acima apresnetado são tão ridículos como os da Isilda. Já que quer ler argumentos com pés e cabeça porque não começa por dar o exemplo?? Já agora, porque é que não se questiona também acerca dos motivos que levaram as TV's nacionais a fazerem directos acerca dos eventos do NÃO enquanto se limitavam a fazer pequenos apontamentos dos eventos do SIM? Ou só se vê a outra face da moeda quando dá jeito?

antidote disse...

pensei que o tom "nonsense" do meu comentario era bastante obvio.

se assim nao é peco entao humildemente desculpa pelo equivoco, claro que aquelas nao sao as minhas opinioes. Achei (e acho ainda, desde que seja claro que com ironia) que se tornava interessante aplicar a logica a tais pressupostos (bastante ilogicos) da parte de tais pessoas.

quanto a faces da moeda televisivas, nao posso comentar, pois nem vivo em portugal, nem nunca possui um aparelho de televisao.

Anónimo disse...

Caí neste post por engano e nunca pensei que existisse algo de tão MAU !!! Uma miséria !!!
Não dá para comentar … é escusado !!! Se o autor do post não revelasse sinais claros de atraso mental, sugeria-lhe que aplicasse o seu raciocínio abortista aos pais que o fizeram! É ridículo um abortista falar em “poder argumentativo coerente” um abortado não argumenta … é pena !!! A própria argumentação dos defensores do aborto é em si já um aborto: perde em toda a linha! Apenas ganha se excluir toda a ciência e tecnologia a que hoje temos acesso, e recuar várias dezenas de anos para poder dar razão à infeliz que fala em “coisa humana”.
PENSARÃO VOCÊS QUE ESTA LEI SE IRÁ MANTER POR MUITO TEMPO?!??!
Preparem-se!!!