24.5.06

De todas as formas e feitios...

Feminista, substantivo, 2 géneros, pessoa que acredita na igualdade de direitos entre as mulheres e os homens.
(in Dicionário da Língua Portuguesa, Porto Editora, 1989.)

Ao contrário do que se pensa e se diz por aí, para ser feminista não é necessário ter vagina, odiar decotes ou soutiens, odiar maquilhar-se ou fazer depilação, odiar os homens, odiar a beleza (feminina ou masculina), odiar o sexo.

Basta acreditar que mulheres e homens merecem igual respeito, credibilidade, poder, espaço e que ninguém, mulher ou homem, deve ver as suas escolhas e oportunidades condicionadas por causa do seu sexo. As pessoas que acreditam nisto e que o praticam na sua vida quotidiana são de todas as formas e feitios. E ainda bem...

Imagem de Riot Grrrl, inspirada em cartoons de www.perfectworld.org
a

23 comentários:

Anónimo disse...

Nada mais justo. Sou homem e estou nesta luta.

sabine disse...

Esse feminismo é o meu - um feminismo que tambem rima com feminina.

Anónimo disse...

Perfeitamente de acordo. Este é o feminismo saudável. Infelismente, aquele que mais sobressai é o fundamentalista, que como tal ´só radicaliza posições.

Anabela Santos disse...

Belo texto!
Embora nos esforcemos por dissipá-la, a mentalidade prevalecente na sociedade considera o Feminismo um movimento fundamentalista, facto que impede o seu reconhecimento terminante.
Pessoalmente, sou feminista, adoro soutiens, decotes, maquilhagem e não nutro qualquer tipo de aversão pelo sexo masculino. É ridículo pensar que as mulheres que se assumem de feministas perdem a sua feminilidade.
Homens e mulheres (feministas)confluem para uma luta: o estabelecimento da Igualdade entre sexos.

Casanova disse...

Acho giríssima essa forma políticamente correcta de terminar as palavras em que é obrigatório aludir aos dois sexos. Em vez do fastidioso processo "os(as)" usa-se agora "@". Já repararam na forma como a parte do "O" (masculina) portanto, envolve, abraça, protege, abusa, domina, cerca, a parte do "a" (feminina?).
Até as letras são machistas!!!

Yoda disse...

Por acso, não é exactmente como a anonymous anterior diz...

Ou seja, é, mas será mt difícil ser de outra maneira.

Senão vejamos: se se perguntar a qq mulher bem realizada sob todos os pontos de vista e em mts casos tb em altos extractos da população feminina (e altos extracto aqui refere-se a culturais e de boa consciência política) a maior parte delas a 1ª coisa que dirá é que NÃO É feminista.

Algo que sempre achei curioso. Como se pode não ser Feminista?

O que acontece é que estas numerosas mulheres estão a falar de um feminismo que nunca viram ou conheceram a não ser que tenham andado por sítios mt específicos dos States ou Inglaterra em alturas mt especificas dos anos 70.

Como saberão melhor que eu - no meu planeta não se usam soutiens - nunca se queimaram soutiens em nenhuma manifestação de mulheres em parte alguma do mundo.

Nos Sates, um jornalista disse que sim e ... ficou. Mas não foi verdade....

E assim sucessivamente....

Ora se as "verdadeiras interessadas" (desculpem a construção) e cultas respondem assim o que esperar da esmagadora maioria das mulheres e, pior ainda, dos homens?

E já agora..... Claro que haverá feministas radicais.

E fanáticos do Futbol. E fanáticos da Ecologia. E fanáticos das Touradas. E Fanáticos do Vegetariasnimo. E do Marxismo-Leninismo. E dos Dzert :-)

A vida é assim...

May The Force be with You

Anónimo disse...

O estereótipo da feminista que detesta homens, detesta a beleza, não tem preocupações com a aparência, etc foi obviamente criado pelos detractores do feminismo, na tentativa de o confinar a um determinado grupo de mulheres, de as marginalizar e de levar as restantes a recusá-lo ( como de facto acontece e por isso é muito importante tentar acabar com o preconceito).

No entanto é bom não esquecer que a definição de "feminino/feminilidade" ( como de resto a de "masculinidade" )é uma construcção cultural muitas vezes ( quase sempre) utilizada contra as mulheres, na medida em que constituí um modelo ( as mulheres são bonitas, as mulheres devem vestir-se assim, as mulheres devem ter esta atitude,etc para serem femininas) construído por uma sociedade patriarcal e que, portanto, as limitam e escravizam.

Daí que o famoso "Eu não sou feminista, sou feminina" seja eminentemente reaccionário. É aquela ideia de que se uma mulher não se comportar de acordo com os padrões do comportamento feminino "não é mulher"...

eduardo disse...

post cristalino! o feminismo como eu o entendo é multiforme: como outros chapéus conceptuais inclui, entre outras coisas, dimensões éticas, estéticas, científicas e políticas, ao qual são transversais níveis individuais e colectivos de reflexão e prática feminista. não creio que o feminismo se preste mais que outros paradigmas emancipatórios, chamemos-lhe assim (perspectivas críticas das diferenças culturalmente construídas que se traduzem em desigualdades de oportunidades arbitrárias), a aproveitamentos essencialistas e contraproducentes. é pena que muita gente aceite como evidente uma visão paternalista e enviesada de ideias e acções colectivas que têm, no mínimo, o condão de pôr as pessoas a pensar um pouco sobre a (a)normalidade quotidiana de muitos aspectos das relações entre mulheres e homens. de alguns comentários que tenho lido por aqui fica a prova – se necessária fosse – que o Colectivo Feminista (qualquer colectivo feminista) enfrenta um trabalho duríssimo pela frente: a aparência (que não deixa por isso de ter efeitos práticos) de normalidade, evidência e, até, de inocência de muitos comportamentos como sejam os piropos, etc., ajuda a explicar a solidez das relações de desigualdade. era preciso explicar longamente que a dominação tem aspectos não apenas estruturais e geralmente mais reconhecidos como constituindo desigualdades sociais (o gender pay gap, a segregação no mercado de trabalho, a desigual distribuição do trabalho doméstico, etc.) como também aspectos mais rotineiros e menos visíveis como resultantes do sistema de dominação (os piropos, a publicidade sexista, a utilização de linguagem não inclusiva, etc.), para conseguir dar uma visão mais exacta e articulada daquilo que são hoje em dia as relações de desigualdade baseadas no sexo, o que é sempre difícil de fazer num post ou num comentário.
continuem a gerar debate; pôr as pessoas a olharem para aquilo que geralmente lhes é invisível parece-me constituir, só por si, motivo suficiente para a existência da iniciativa.

JoeFingers disse...

(prólogo: quem citou esse dicionário - que de resto está online em http://www.priberam.pt/ -esqueceu-se que "feminismo" também quer dizer "estado de um indivíduo do sexo masculino que apresenta caracteres femininos."- Podem portanto imaginar, já por aqui, o chorrilho de equívocos e o caminho labríntico de vielas escorregadias que estas definições acarretam).

Agora, perdoai a ignorância de um pobre macho, mas alguém me explica porque é que um conceito que significa a igualdade de direitos entre géneros é a adjectivação de um desses géneros? há qualquer coisa que não bate certo, chamem-lhe o que quiser. Para mim, "feminismo" pode ser o que defende a libertação da mulher, a emancipação da mulher, o primado da mulher, a superioridade da mulher (e porque não? têm vergonha de assumi-lo? olhem que os "machistas" não têm), o que quiserem... agora "igualdade entre os sexos"; não. Inventem outro conceito, esse não serve. E querem saber porquê? no mesmo dicionário, vejam "machismo" e o que está lá? eu ajudo: «atitudes ou modos de macho; ideologia segundo a qual o homem domina socialmente a mulher; subalternização da mulher."

Resumindo e concluindo (porque é preciso dar espaço para me malharem na pinha), a igualdade de direitos começa pelo despojamento de preconceitos. Querem deixar de ser tratadas como coisas inferiores? levantem a cabeça, olhem de frente para os reais problemas e acabem com estes complexos enfezados de coitadinhas...

Anabela Santos disse...

O indivíduo cognominado de "joefingers" questiona-se sobre os motivos pelos quais o conceito "Feminismo" é a "adjectivação de um desses géneros". De facto, assentindo consigo, este conceito remete imediatamente para o género feminino. Não será porque a luta contra a segregação sexual tenha partido das mulheres?! Já agora, porque é que não concorda com o propósito feminista: “a igualdade entre sexos”? Porque é que o incomoda? Você mesmo parece concordar com o facto da mulher ser discriminada (“Querem deixar de ser tratadas como coisas inferiores?”). A sugestão é que não é apropriada: “levantem a cabeça, olhem de frente para os reais problemas e acabem com estes complexos enfezados de coitadinhas...”. “Levantar a cabeça” e olhar em frente é o que as feministas fazem ao assumirem como tal. Complexos?? Quem lhe disse que tínhamos complexos?

Desculpe a minha intransigência, mas não perdoo “a ignorância de um pobre macho”.

Woman Once a Bird disse...

Eu, por mim não perdoo "a ignorância de um pobre". Porque se vamos ser preciosistas em relação aos conceitos, a frase acima poderia terminar de múltiplas formas...
Ex:
"Perdoai a ignorância de uma pobre peça de dobradiça" Ou ainda, "Perdoai a ignorância do pequeno gancho metálico usado no vestuário". E poderia continuar, que o dicionário dá para muito mais despojamento de (pre)conceitos

Joe Fingers disse...

bah! se há coisa que não suporto é falta de humor e imaginação pobre de gente que se leva muito a sério e que vê insuportáveis chauvinismos machistas em cada farpazinha epidérmica que apanham (gostava de saber porque raio de delirium tremens é que a fêmea Anabela Santos concluiu que eu não concordava com a igualdade entre sexos.. depois venham-me falar em preconceitos), que não entende uma ironia e que advoga "militâncias" em cada dobrar da esquina, antes sequer de ler o que está escrito. Eu limitei-me a apontar uma curiosidade no que toca aos conceitos. bah!

SchizzoBitch disse...

Humor? Aqui? You dreamer...

Helena Romão disse...

O problema é exactamente este: de quem acha que feminismo é uma versão feminina do machismo, de quem acha que ambos são a mesma coisa. De quem não conhece (FINGE que não conhece) toda a história dos dois sexos e das diferenças que sempre existiram: nem a mesma história, nem a mesma origem, nem os mesmos objectivos... nada, nadinha em comum.
Lá por terem o mesmo sufixo, não são a mesma coisa.

Mas é muito complicado explicar isto a quem não quer perceber, mulher ou homem.

Iris disse...

Ora, vejamos como podemos esclarecer a pobre mente do Joefinger que, de tanta ignorância, mete os pés pelas mãos para defender as suas posições de macho.

Leu, e muito correctamente, no dicionário: "estado de um indivíduo do sexo masculino que apresenta caracteres femininos", isto porque o termo "feminimo" foi inicialmente usado no campo medical para designar uma transgressão da identidade de género! Tendo posteriormente, ainda no sec. XIX, mudado de sentido para passar a designar a luta pela igualdade de direitos.
Sendo assim, existiram feministas, mulheres e homens, antes da palavra existir. Citemos alguns nomes: Christine de Pisan, Mary Wollstonecraft, Olympes de Gouges, do lado das mulheres; Condorcet, Charles Fourrier ou John Stuart Mill, do lado dos homens.

Espero ter contribuído para o alargamento dessa sua pobre mente e, quem sabe, para o despojamento de preconceitos para com o feminismo?

Já agora, fique a saber que o feminismo nunca matou ninguém, enquanto o machismo mata todos os dias (creio que não preciso de exemplificar).

Taxista Feminista disse...

Vinha aqui responder às observações d@ Joefingers, mas muito do que ia escrever já foi escrito (de forma muito interessante!) por outr@s comentadores, portanto faço minhas as suas palavras e acrescento apenas algumas ideias...

Admito que a palavra "feminismo" tem frequentemente uma carga muito pejorativa (em grande parte devido à forma negativa como é representado nos média) e que pode dar azo a mal-entendidos como aqueles que @ Joefingers descreve. No entanto, não me parece solução mudar a palavra. Por várias razões:

1) porque a má vontade e hostilidade quase generalizada que lhe é dirigida não tem a ver com questões de linguística e gramática - tem sim a ver com a resistência das pessoas, mulheres e homens, a estas causas da igualdade de género. Se em vez de "feminismo" se chamasse "igualismo", "génerismo" ou "joefingerismo", essa má vontade e essas resistências iam continuar a existir, garanto-lhe.

2) porque o feminismo é um conjunto de movimentos e ideias com história. Não nasceu ontem e espera-se que não morra amanhã. E apesar de as reivindicações e formas de intervenção poderem ir mudando, isso não significa que seja útil ou produtivo cortar de repente com essa herança e começar tudo "do zero".

3) porque eu prefiro investir a minha energia e tempo a promover o debate sobre os problemas associados à desigualdade de género e as formas de os ultrapassar, e não a imaginar novos nomes (mais "simpáticos" e "polidos") para esta forma de activismo e crítica social.

Woman Once a Bird disse...

Assino por baixo. Agora esperemos que o Sr. Dedos não se leve muito a sério e aceite de bom humor tudo o que foi aqui explicado.

Zé Fanan disse...

Gostava de perguntar a estas campeãs da liberdade porque é que retiraram o meu comentário que escrevi ontem à noite (no post dos piropos), sem sequer me darem uma satisfação. Porque dizia umas verdades desagradáveis? Não gostaram do que lá estava? Viva a liberdade de expressão!!!

Woman Once a Bird disse...

Zé, é a segunda vez que me deparo com a sua expressão. Repetida. começa a ser enfadonho. Mas expresse-se! Satisfaça-se. Acima de tudo, atire com as suas verdades!

Zé Fanan disse...

Expresso-me? Oh que caraças, mas se a primeira vez que o fiz me cortaram logo o pio (sob o aplauso geral), que faço? penitência?

Woman Once a Bird disse...

Aplaudir também?

Inês Meneses disse...

Eu julgava que este podia ser um sítio para discutir o que pode ser o feminismo; em vez disso, sempre que alguém discorda das autoras dos posts, é apelidado de machista. Quanto a capacidade de argumentar e pensar estamos conversados; vocês nem lêem, se alguém discorda está automaticamente errado. Isto não é um blog, é o pátio do liceu. Vou brincar com os meninos crescidos. Beijos a toda a gente!

Fanan o gnomo amarelo disse...

Fanan é amigo, Fanan é simpatizante pela causa.
Mas tenho de perguntar o porque de eu não conseguir ler aqui que lutam não só pela igualdade de direitos como também pela igualdade de deveres?

Fanan~